Thursday, September 21, 2006

Miriam Leitão e Alckmin

Miriam Leitão faz um comentário interessante sobre a entrevista de Alckmin no Bom Dia Brasil, que eu não entendi direito:

"Sobre reforma da previdência cometeu um erro grosseiro. Disse que é contra o aumento da idade mínima para aposentadoria porque é médico e a expectativa de vida do Brasil é muito desigual. “O mais pobre morre sem conseguir se aposentar”."

O que eu entendi do que o Alckmin disse: se aumentar o limite de idade, pobre morre antes de se aposentar. Continua a jornalista:

"Qualquer pessoa que acompanha o assunto sabe que o pobre não consegue comprovar tempo de serviço, e acaba se aposentado depois dos 65 anos, ou até ficando apenas com o benefício do Loas dado aos muito pobres com mais de 65 anos. A elevação da idade mínima para se aposentar prejudica quem ganha mais no sistema previdenciário e não os pobres que já estão prejudicados no sistema atual"

Bom, mas, de qualquer maneira, se pobre morre mais cedo, qualquer elevação da idade aumenta ainda mais a chance dele morrer antes de se aposentar, não? Por que isso seria um "erro grosseiro" (a menos que a totalidade dos pobres morra antes dos 65, o que não é verdade)? Suponho que o LOAS mudaria também, se a idade de se aposentar mudasse, caso contrário muita gente iria para o LOAS ao invés de se aposentar mais tarde. Seja o que for que ela quis dizer, eu não entendi.

2 comments:

Ed said...

Pois é, quem falou besteira foi ela. É relativamente fácil comprovar tempo de contribuição com a informatização do sistema, mesmo para o informal que contribui como facultativo.

Aumentar o limite de idade para aumentar a arrecadação, neste momento, é brutal. Mesmo que se reconheça institucionalmente que a capacidade laborativa acompanhou o aumento da expectativa de vida, o mercado é implacável.

Na Prática said...

Grande Ed!

Interessante esse negócio da informatização. Na verdade, eu achei o argumento da Miriam Leitao tao confuso que parece ter sido um erro de exposição dela, sei lá.