Wednesday, August 15, 2007

Rússia

A Paula do Nel Mezzo del Camino me chamou atenção sobre o artigo do Bernardo Carvalho sobre a situação política da Rússia atual. O artigo é legal, mesmo, vale a pena ler.

Sobre a Rússia: para entender a situação atual, vale a pena relembrar uns artigos esquecidos dos anos 90.

O Anders Aslund, economista sueco que deu assessoria para vários governos pós-socialistas, lançou a seguinte idéia: certo, os oligarcas russos roubaram as empresas. Foi. Agora, deveríamos nós encher o saco dos caras? Não. A obtenção de propriedade por meios ilícitos foi a regra, não a exceção, na maior parte dos países capitalistas (concessão de terras gratuitas para construir linha de trem, pirataria, etc., o que o Marx chamava de "acumulação primitiva"). Há sinais de que os oligarcas que sobreviveram à crise de 98 estavam administrando suas empresas mais ou menos bem. Nesse cenário, diz o Aslund, é melhor deixar como está do que arriscar re-estatizar de novo e privatizar direito (quem garante que dessa vez seria direito?).

É um argumento razoável. Só que tem outro lado, bem explicado por um sociólogo húngaro chamado Akos Rona-Tas. O "capitalismo político" russo pode se reproduzir indefinidamente, porque, cada vez que se faz uma privatização na base da sacanagem, a população fica chocada com o episódio, passa a desprezar os ricos (mesmo os que não têm nada a ver com isso), e pedir que o Estado intervenha pra por ordem nessa zorra. Aí o Estado (por exemplo, o Putin) começa a perseguir alguns dos novos milionários (os que não aceitam apoiar o governo) e redistribuir o que for confiscado para seus cupinchas em uma nova rodada de sacanagem. Aí a população fica desiludida...

Em uma interpretação mais otimista, é possível que o ciclo vá perdendo intensidade com o tempo. Nessa nova rodada o Putin já vai distribuir menos empresas, comparado ao que o Yeltsin entregou, e é possível que o próximo governante tenha menos ainda para redistribuir.

Mas realmente não é um quadro muito bonito.

Sobre o Bernardo Carvalho: eu gosto dos livros dele, como já dito aqui. Recomendo especialmente o Mongólia.

2 comments:

Rabo de Cobra said...

Pusta artigo mesmo. O post idem.

Na Prática said...

Valeu, RDC!