Monday, August 27, 2007

Ruy Fausto

Boa entrevista na Folha de ontem com o Ruy Fausto, professor da Universidade de Paris. A enrevista marca o lançamento de um livro de artigos sobre política, meio mal apresentado pela reportagem: aparentemente, trata-se de uma coletânea de artigos sobre política (alguns dos quais, se bem entendi, já comentamos aqui, onde costumamos gostar do que o cara fala sobre política), A Esquerda Difícil. O livro certamente será resenhado aqui quando sair. Enquanto isso, os melhores momentos da entrevista:

Mensalão

"Lamentavelmente, parte da intelectualidade do PT tomou a defesa do partido, e portanto dos corruptos, e pôs a culpa na imprensa pelo escândalo, como se ela tivesse montado o essencial. A tendência a transformar tudo em complô da mídia -que está longe de ser inocente, principalmente na sua atitude para com o governo Lula, mas, no caso do mensalão, fora as diatribes sinistras contra intelectuais do PT proferidas por certa revista, ela acertou muito mais do que errou- é propriamente lamentável, e mostra a total desorientação de parte da intelectualidade petista.

Não se defendem princípios, defende-se um partido. Como se os partidos não apodrecessem, e como se eles fossem mais importantes do que um projeto socialista democrático sério. Essa atitude mistificou parte da opinião universitária, que "não acredita" no mensalão, como se se tratasse de um problema de crença ou de fé (se o mensalão era quinzenal, ou semestral, isso interessa pouco, o essencial é que houve corrupção, e grande). Com isso não quero dizer que nada preste no PT, nem que ele não tenha mais interesse. Há certo número de pessoas honestas e com convicções ali. Só que são minoritárias. Veremos se ainda podem desempenhar algum papel. "

Revista

"Creio que precisaríamos de uma revista, mas uma revista com gente que tenha posições bastante convergentes, e que se disponha a trabalhar no sentido de uma crítica intransigente ao petismo acrítico, ao revolucionarismo -inclusive o niilista- e às pseudo-sociais-democracias nacionais, que na realidade não têm nada de social-democratas. Uma revista política e teórica que fosse nessa direção representaria um passo importante, no sentido da preparação de uma reorganização política. Pelo menos denunciaríamos os sofismas e as jogadas de uns e outros. A partir daí, e entrando em contato com o que existe de melhor em vários grupos ou partidos (há gente politicamente sã, mesmo se minoritária, um pouco por todo lado, inclusive fora de grupos ou partidos) veríamos o que seria possível fazer a médio prazo."

Comentários NaPratica: ainda temos mais esperança no PT a médio prazo (mais sobre isso em post a ser publicado em breve), mas já manifestamos a intenção de comprar a revista do Ruy Fausto e linkar aqui. Tenho uma certa curiosidade sobre quem seriam os outros autores.

4 comments:

Carlos Eduardo da Maia said...

A esquerda e sua religião sem deus. Realmente muito boa a entrevista de Ruy Fausto. E é impressionante o silêncio absoluto dos blogs de esquerda sobre o indiciamento de Zé Dirceu e CIA pelo STF. Um silêncio preocupante. Um abraço Maia

Na Prática said...

Maia, parabéns pelo blog. O silêncio é realmente preocupante.

Artur said...

Acho as posições de Ruy Fausto fundamentais para uma rediscussão geral sobre a esquerda. Na minha opinião, é gritante a necessidade de uma esquerda pós-totalitária, completamente avessa a autoritarismose totalitarismos -- completamente democrática e republicana. A longa introdução do tomo III de seu livro "Marx: lógica e Política" discute essas questões.

Na Prática said...

Artur, seja bem-vindo, concordo inteiramente. Se quiser nos explicar o que quer que seja do Lógica e Política, agradecemos! Apareça no nosso novo endereço, no http://napraticaateoriaeoutra.wordpress.com