Monday, October 16, 2006

Mais um dia

Rapaz, não vai acontecer nada nessa campanha, não?

Vou arriscar: se não acontecer mais nada, Alckmin cai (cai mesmo, não oscila pra baixo, não) na próxima pesquisa.

PS: esse chute é dedicado a Leandro Konder, que certa vez vi dizer "Bom não vou fazer previsão por que sempre errei todas. Bom, se bem que, mais uma, menos uma, vamos lá..."

1 comment:

said...

Comentemos, pois, o "caso" da revista Veja primeiro. Ela coloca em sua repostagem que o Ministro Bastos foi o responsável pelo encontro de Godoy com Gedimar com base em "depoimentos de policiais presentes" ao fato. Brincadeira uma coisa dessas!!! Se fosse em um país sério ela teria que pagar uma soma considerável por usar esse tipo de fonte... Se os repórteres ou os editores dessa revista pelo menos tivessem o cuidado de verificar se os mesmos policiais se encontravam de plantão na noite do acontecido, se eles mostrassem o video da carceragem e da entrada da delegacia aonde aparece a entrada de Godoy, vá lá... Assim até eu faço jornalismo!
O da Carta Capital é chover no molhado para todos os que votaram no Lula. Dizer que foi uma jogada arquitetada pela BigBrother da imprensa nacional, junto com todos os marias-vão-com-as-outras da imprensa nacional não é colocar nenhuma novidade no assunto mesmo, como ficou claro até com a confissão feita pelo delegado da PF que fez as fotos.

Geraldo não cairá, já está caindo... Se ele não conseguir que seus parceiros o ajudem a criar nenhum novo evento para abalar a imagem do Lula, essa eleição já era. Mas como bem lembrou o editor desse blog, que surpresa teremos se já vivenciamos casos como o da Lurian, do confisco da poupança, etc., e o da "Escola de Base" em São Paulo para mencionar algo diferente da política)?
Geraldo cai por pura incompetência sua e de seus aliados em mostrar o que ele é e os possíveis pontos positivos de seu mandato. Diferentemente de Lula, já que os pontos positivos estão estampados nas 2as e 3as páginas de todos os jornais, que reservam a 1a para focar apenas o lado da corrupção de seu governo (como se os dos demais não fosse importante...)