Monday, June 18, 2007

Políticas de Inovação

O Brasil só vai para a frente quando todas as instituições políticas usarem a totalidade de seus recursos para pagar o Dr. ABC para ir para a porta do Palácio do Planalto para ficar gritando "É a política de inovação, estúpido! É a Política de Inovação, estúpido!".

Ninguém fala disso no debate público brasileiro. O debate econômico é só sobre taxa de juros. O que que as empresas vão fazer quando o juro cair, se vão produzir coquinho ou supercomputador, não merece uma página de atenção. Mas a verdade é que o grau de desenvolvimento tecnológico de um país é função direta de quanto ele é capaz de inovar tecnologicamente. E isso não é decidido só pelo livre jogo do mercado.

Para uma discussão legal, vejam o excelente post da referida autoridade.

8 comments:

Dr. ABC said...

Adorei a idéia de me darem uma grana para ir pra Brasília decidir alguma coisa. Aceito até a alcunha de "referida autoridade" descrita por vossa senhoria hehehe.

Mas é uma coisa absurda mesmo essas questões aqui no Brasil. Ninguém fala nada. Ainda estamos mais do que preocupados com a estabilização. Não pensamos o passo seguinte - ou seja, estamos quase nos estabilizando, e agora, o que faremos? Produziremos coquinho ou computadores? É isso que diferenciará os desenvolvidos dos sub nos próximos anos.

Depois não adianta dizer que perdemos mais esta "janela de oportunidade" (oportunidade sim, pois o Brasil pode ser o país referência mundial para a revolução dos combustíveis - desde que invista em inovação e aperfeiçoe o etanol... se não fizer isso, podem acreditar que daqui a pouco vai ter alguém que faça mais barato, melhor, menos poluente e aí ó, já viu, vamos nós pras cucuias).

Abraços,

Babalorixá do Riquixá said...

É claro que vão vender coquinho. E pedir dólar barato pra americano comprar. Dez coquinhos leva uma banana de brinde. Vinte coquinhos leva uma banana e uma menor. Até parece que você mora na Índia, Paquistão ou Coréia... Isso aqui é Brasil, rapá!

rabo de cobra said...

coquinho, coquinho. Óbvis!

Babalorixá do Riquixá said...

rabo de cobra, zinfiu tá cum a razão. Quando tu vier aqui no Laos eu vô mandá te buscá pra a gente dá umas baforradas no terreiro.

Maria said...

Com certeza, coquinho. E eu vou junto com o dr. ABC pra desfilar de peruca colorida.

Vai lá no Caminho do Meio, ops, Meio do Caminho, aforismas sem juízo sobre a greve. A minha proposta é chamar a Vai-Vai e passar na frente do Palácio dos Bandeirantes.

QVINTVS FABIVS PICTOR said...

Nesse palco iluminado
o carnaval já instaurado
nossos corações sambam delirantes
é a Vai-Vai no Bandeirantes!

Nessa vida de ilusão
Mais uma é a inovação
brasileira fantasia
viva só na academia

O sábio valoriza a tradição
o economista a inflação
desnecessária morre a erudição
aqui não se invova nada não

Então vamos festejar
para a vida aproveitar
produzir sempre foi besteira
tem o gringo, a dianteira

Mas a vida de alegria se inunda,
seja Maria, Patrícia ou Raimunda
No carnaval a barra é mais funda
É o dia de mostrar a bunda!

refrão (2x)
Olha o coco vai o coco
toma um coco na batida
fica louco perde a linha
toma toco nessa lida

Na Prática said...

Ou seja, cem por cento dos analistas ouvidos por Na Prática a Teoria é Outra sugerem comprar ações de empresas de coquinho. Já avisei todas as velhinhas lá do prédio. Se elas perderem suas economias de uma vida toda, a culpa é de vocês.

Agora, o espetacular fenômeno internético foi o glorioso Pictor, que apesar, de, uhm, se vestir de centurião (é, eu sei), conseguiu compor um samba enredo muito bom em apenas, pelo intervalo entre os posts, 24 minutos. Esse blog pode ser uma porcaria, mas os leitores arrebentam.

Maria said...

Como dizem as velhinhas do meu prédio, carai!!!!!!! O romano além de narigudo é sambista! Meu, ficou ótimo!!!!!!!!!

Talvez tenha que sugerir pras velhinhas a compra de ações da Vai-Vai. Ou de fábrica de bananinha.